--> Síndrome Respiratória Aguda Grave por influenza aumenta mais de 30% na Bahia | Agência DC - Donato Costa | Portal de notícias da Bahia


Bomboniere Rodrigo

Bomboniere Rodrigo


Síndrome Respiratória Aguda Grave por influenza aumenta mais de 30% na Bahia

Compartilhe:

(Arisson Marinho/CORREIO) Coriza, tosse, obstrução das vias respiratórias. É assim que Luanna Sampaio, 32, descreve a infecção que contraiu ...

(Arisson Marinho/CORREIO)

Coriza, tosse, obstrução das vias respiratórias. É assim que Luanna Sampaio, 32, descreve a infecção que contraiu no fim de maio. Na casa em que vive com o marido e o filho, todos apresentaram sintomas da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por vírus Influenza ao mesmo tempo. A situação da família não é a única: só este ano, já são 331 casos de SRAG por influenza na Bahia. No mesmo período de 2022, o número era de 249; e, em 2021, foram 17 casos entre janeiro e junho. Os dados são da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).


Este ano, a Síndrome Respiratória Aguda Grave por Influenza foi verificada em 56 municípios, dos quais se destacam Salvador com 116 casos (44,44%), Vitória da Conquista com 21 (8,05%) e Feira de Santana com 20 (7,66%), de acordo com a Sesab. Quanto à faixa etária, a pasta afirma que o maior coeficiente de SRAG por influenza foi verificado em menores de um ano, com 18,97 casos a cada 100 mil habitantes, e entre um e quatro anos, com 6,43 casos a cada 100.000 habitantes. Já a maior letalidade ocorreu na faixa de 15 a 19 anos (36,36%).


No círculo de conhecidos de Luanna, outras pessoas também contraíram alguma síndrome respiratória ou gripal. “Minha irmã também teve o mesmo quadro de sintomas e a diarista que presta serviços na minha casa. Ambas frequentaram minha casa no período em que estávamos doentes”, diz.


A SRAG é uma doença respiratória altamente contagiosa e abrange casos de síndrome gripal (SG) que evoluem com comprometimento da função respiratória. Na maioria dos casos leva à hospitalização sem outra causa específica. Os agentes podem ser vírus respiratórios como o Influenza dos tipos A e B, Vírus Sincicial Respiratório, Sars-COV-2, bactérias e fungos. A transmissão ocorre a partir do contato com gotículas do ar e secreções de contaminados. 


A síndrome pode ser identificada quando, além dos sintomas de uma gripe comum, o doente sente falta de ar ou desconforto para respirar, sensação de pressão no peito, saturação de oxigênio abaixo de 95% ou coloração azulada dos lábios ou rosto.


Marcelo Chalhoub, pneumologista e professor do curso de Medicina da Universidade Salvador (UNIFACS), explica que nem sempre os sintomas são facilmente percebidos. “O sintoma clássico é o desconforto respiratório ou mesmo falta de ar. Por vezes, só é identificado com uma boa avaliação clínica. Os pacientes às vezes não têm nem noção da gravidade”, diz.


Tradicionalmente, a chegada do outono traz uma onda de viroses, devido à mudança de tempo. Essas doenças sazonais de outono e inverno costumam se intensificar entre março e junho. “Essa época do ano sempre tem aumento das viroses. Como são variáveis, às vezes tem aumento da SRAG e aumento da letalidade. Atualmente, os casos graves de  covid-19 têm sido mais exceção do que regra, enquanto os casos graves observados envolvem outros vírus: influenza e vírus sincicial respiratório”, acrescenta o pneumologista.


Outro risco aparente é a chamada ‘super virose’. Segundo o infectologista Fábio Amorim, o que a população descreve como uma virose superpoderosa é conhecida entre os especialistas como ‘suprainfecção’, que ocorre quando alguém apresenta mais de um agente infeccioso, fazendo com que os sintomas se misturem. Essa sobreposição dificulta o diagnóstico e a definição de qual tratamento será instituído prioritariamente.


Fugir das doenças sazonais pode ser uma tarefa difícil. Ainda assim, existem cuidados que podem ser tomados o ano inteiro para driblar as ocorrências. Para Guilhardo Ribeiro, médico pneumologista e diretor acadêmico da Associação Bahiana de Medicina, a melhor forma de evitar as doenças durante o período de inverno são as medidas que vêm antes do inverno. "[É importante] ter um estilo de vida saudável, fazer atividade física, beber bastante água e suco de frutas e fazer higiene nasal e oral, e a lavagem de mãos é fundamental. Mas quem protege mesmo é a vacinação. A vacinação contra gripe e pneumonia são absolutamente fundamentais para diminuir as formas mais graves e potencialmente letais", afirma o especialista.


A SRAG na Bahia


Além dos casos que acompanham a influenza, a Síndrome Respiratória Aguda Grave se manifesta também por outros agentes. Na Bahia, o total de ocorrências este ano, até o fim de maio, foi de 4.366. 



Entre as classificações, a predominante é de SRAG não especificado, sem uma doença específica, com 2.048 casos. Em seguida vêm as situações causadas por outro vírus respiratório, que somam 997. As que ainda estão sendo investigadas somam 546. 


O SRAG por covid-19, responsável por mais de 33 mil casos na Bahia em 2021 e mais de 5 mil em 2022, este ano não chega a 500 ocorrências: até agora, são 419 situações em todo o estado.  


“Toda virose respiratória pode evoluir com algum percentual de SRAG. Isso acontece todo ano. O problema é que, às vezes, tem algum tipo de vírus que pode aumentar a incidência da SRAG, e aí vem logo um pânico, na maioria das vezes não justificado. A covid foi uma grande exceção”, afirma Marcelo Chalhoub.


Recomendações da Sesab


Com a quantidade crescente de casos de SRAG, a Sesab emitiu uma nota com recomendações acerca do aumento de casos em crianças:


“As medidas recomendadas se dividem em três vértices: a ampliação da cobertura vacinal, recomendações para as unidades de saúde e recomendações para a comunidade escolar e famílias. A Sesab recomenda a ampliação do acesso à vacinação contra Influenza e Pneumocócica 10 valente, especialmente para as crianças em vulnerabilidade social, com implementação de estratégias mais efetivas para a descentralização dos pontos de aplicação das vacinas nos territórios onde as pessoas moram e para a busca ativa de não vacinados”, declara.


Além disso, a pasta indicou às unidades de saúde que tornem obrigatório o uso de máscara para pacientes acima de dois anos e seus acompanhantes ou visitantes para entrada acesso às dependências das unidades, disponibilização de máscara cirúrgica em caso de sintomáticos respiratórios e suspensão das visitas nas enfermarias e UTIs Pediátricas. Pai, mãe ou responsável legal pela criança não é considerado visita.


À comunidade escolar e às famílias, a Sesab recomendou a intensificação de medidas como higienização das mãos e impedimento de aglomerações, afastamento das escolas, creches e similares de crianças com sintomas até que se perceba melhora dos sintomas gripais, evitar que crianças frequentem ambientes fechados passíveis de aglomeração quando estiverem gripadas e ter atenção à presença de sinais e sintomas gripais entre trabalhadores da comunidade escolar, que deverão ser afastados do ambiente escolar caso haja suspeita de estar com Influenza e/ou Covid-19.


Na nota divulgada, o órgão afirma ter feito ajustes para receber pacientes pediátricos com casos de síndromes respiratórias. “Em Salvador, o Instituto Couto Maia (ICOM), o maior e mais moderno hospital especializado em doenças infectocontagiosas do Brasil, recebeu outros seis leitos de UTI Pediátrica. (...) A Sesab ainda determinou que a UTI Pediátrica do Hospital Materno-Infantil Dr. Joaquim Sampaio (HMIJS), em Ilhéus, passe a receber, por tempo indeterminado e via Sistema de Regulação, somente pacientes com que apresentem sintomas de SRAGs, a fim de operar de forma mais resolutiva no atual cenário epidemiológico”, completa.


Unidade municipal oferece 22 leitos para casos graves

Em abril deste ano, um equipamento de saúde especializado em síndromes gripais foi inaugurado em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Barris. A estrutura atende exclusivamente pacientes com  síndromes graves e oferece 10 leitos de observação, dois de sala vermelha e outros 10 clínicos. O funcionamento da chamada ‘Upinha’ ocorre em regime 24 horas. 


A vice-prefeita e secretária municipal de Saúde, Ana Paula Matos, explicou que a ação é preventiva: “De abril a junho acontece um pico, o aumento de procura da estrutura em função das questões respiratórias associadas ao período das chuvas. Essa unidade é para dar mais conforto ao paciente e evitar a propagação de vírus. Se alguma outra UPA tiver a necessidade de transferir alguém e não tiver vaga, o paciente poderá ser transferido para cá, se for caso de síndrome respiratória. Isso protege a todos, é mais uma barreira sanitária que evita a contaminação”, afirma.


Na prática, quando um paciente que estiver com sintomas gravez  procurar a UPA dos Barris, ele será direcionado para a Upinha, onde receberá atendimento especializado. O ambiente tem consultórios médicos, de acolhimento e classificação de riscos, sala de coleta de exames e de testagem para a covid-19. Ela é administrada pela Fundação José Silveira, que também gere a UPA dos Barris, e vai funcionar durante o período de maiores ocorrências das síndromes gripais e respiratórias graves. O investimento é de R$ 850 mil mensais.


*Com a orientação da subchefe de reportagem Monique Lôbo


*O Correio 24h

Comentários

Nome

ACM NETO,4,ANTÔNIO GONÇALVES,2,BAHIA,215,BRASIL,177,CALDEIRÃO GRANDE,1,CAMPO FORMOSO,2,CAPIM GROSSO,1,CURIOSIDADES,163,DESTAQUES,548,ENEM,1,ENTRETENIMENTO,163,ESPORTE,214,FAMOSOS,4,FILADÉLFIA,9,ITIÚBA,2,JACOBINA,2,JAGUARARI,1,MUNDO,2,MUNICÍPIOS,84,NOTÍCIAS,1136,PINDOBAÇU,3,PODC PODCAST,35,POL,1,POLICIAL,535,POLÍTICA,2,PONTO NOVO,530,PUBLICIDADE,7,REGIÃO,4,SENHOR DO BONFIM,6,VARIEDADES,1,VÍDEOS,251,
ltr
item
Agência DC - Donato Costa | Portal de notícias da Bahia: Síndrome Respiratória Aguda Grave por influenza aumenta mais de 30% na Bahia
Síndrome Respiratória Aguda Grave por influenza aumenta mais de 30% na Bahia
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEim3ad9pr0Kc_6gs9WoYEjHo_4nam0ZWcMkL-sT6x-9o_Hx4wDa0LUmjTRjQ-SyvXDUKP0mtU-7IhGrf10Jsh_RzmwioYFE046M_vVTd3B_SCbq0b3_tFfI7UixLvMI_AR3q2N7h3U3WFa4vft-i_uVm0XO1zPcGdrZyaUw2lfZCVhWDDPw2WUrAq0TXg/s16000/csm_SRAG_Gripario_Barris_Arisson_Marinho_f47af928fc.jpg
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEim3ad9pr0Kc_6gs9WoYEjHo_4nam0ZWcMkL-sT6x-9o_Hx4wDa0LUmjTRjQ-SyvXDUKP0mtU-7IhGrf10Jsh_RzmwioYFE046M_vVTd3B_SCbq0b3_tFfI7UixLvMI_AR3q2N7h3U3WFa4vft-i_uVm0XO1zPcGdrZyaUw2lfZCVhWDDPw2WUrAq0TXg/s72-c/csm_SRAG_Gripario_Barris_Arisson_Marinho_f47af928fc.jpg
Agência DC - Donato Costa | Portal de notícias da Bahia
https://www.agenciadc.net/2023/06/sindrome-respiratoria-aguda-grave-por.html
https://www.agenciadc.net/
https://www.agenciadc.net/
https://www.agenciadc.net/2023/06/sindrome-respiratoria-aguda-grave-por.html
true
5764102596251995075
UTF-8
Carregar todas as matérias Nenhum resultado encontrado. Ver mais Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início Páginas Matérias Ver todas Veja também Tópico Arquivo Buscar Todas as matérias Nenhum resultado encontrado para sua busca Voltar ao início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo Há 1 minuto Há $$1$$ minutos Há 1 hora Há $$1$$ horas Ontem Há $$1$$ dias Há $$1$$ semanas Há mais de 5 semanas Seguidores Siga ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe em uma rede social PASSO 2: Clique no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor, pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar Table of Content